fbpx

Responder a: Fenomenologia

Home Fóruns Filosofia da Constelação Familiar Fenomenologia Responder a: Fenomenologia

#1575
Paula Melo
  • Participante
@paula
Ponto(s): 85 pontos

Primeiro percebemos o mundo e após uma filtrada “básica” do Ego para “melhor adaptação”, passamos então para etapa seguinte, que é a representação da percepção que ficou (ou do que significou: “Fica o que significa”) então, aqui agimos, compreendemos, explicamos, racionalizamos, teorizamos etc. para representar o que ficou na filtragem de tudo o que apreendemos pelos sentidos. Não há muito o que fazer para mudar esse esquema. Mas podemos trabalhar alí na filtragem do Ego que, basicamente, retém (ou mantém no inconsciente pessoal) os seguintes conteúdos: percepções subliminares, tudo o que foi esquecido, tudo o que foi reprimido, tudo que não está de acordo com as identidades que construímos, tudo o que dói e também é claro, o que realmente não é relevante para o indivíduo. Esse é o conteúdo 90% inconsciente.

A relação do consciente com o inconsciente é de compensação e complementaridade, o que está inconsciente é compensado pelo o que acontece no consciente. E aqui é que conseguimos ter acesso ao conteúdo inconsciente. Só assim é que ele se mostra, pela sua intervenção de compensação ou complementaridade no consciente. Isso quer dizer que, por exemplo, um conteúdo reprimido, por inadequação a uma personalidade que construímos, com certeza vai encontrar uma compensação para ser vivenciada.

A Fenomenologia é um método científico. A Constelação Familiar utiliza a Fenomenologia como método para observar os fenômenos, ou seja, o que se apresenta, da forma que se apresenta, com as infinitas possibilidades de verdades. Não há nada pronto ou finalizado, ao contrário, o fenômeno está sempre se modificando pelo olhar. Só quando concordamos com o que se apresenta é possível estabelecermos um vínculo de FINALIDADE e abrir mão da CAUSALIDADE ou seja, não se estabelece com o fenômeno vínculos de causa e efeito, busca-se a finalidade para quê veio, o “para quê” de sua manifestação. É um olhar orientado para objetividade da experiência e para a possibilidade de ação diante do conteúdo que se apresentou à consciência.

Abraços em todos.

+4
Rolar para cima